Category Archives: Santo Agostinho

Quaresma e Santo Agostinho

Decorra a vida presente no louvor de Deus, porque a eterna alegria de nossa vida futura será o louvor de Deus. Ninguém será idôneo para a vida futura, se de certo modo agora não se exercitar para isso. Agora, portanto, louvamos a Deus, mas também lhe suplicamos. Nosso louvor é alegria, nossa oração é gemido.

 

O coração do justo exultará no Senhor

“O justo alegra-se no Senhor e nele espera; e gloriam-se todos os retos de coração(Sl 63,11).

Acabamos de cantá-lo com a voz e com o coração. A consciência e a língua cristãs dizem estas palavras a Deus: Alegra-se o justo, não com o mundo, mas no Senhor.

A luz nasceu para o justo, diz outro lugar, e a alegria, para os retos de coração (Sl 96,11).

 

SERMÃO DE SANTO AGOSTINHO SOBRE SÃO JOÃO BATISTA

 A Voz que clama no deserto

 

A Igreja celebra o nascimento de João como acontecimento sagrado: não há nenhum, entre os nossos antepassados, cujo nascimento seja celebrado solenemente. Celebramos o de João, celebramos também o de Cristo: isto tem sem dúvida uma explicação. E se não a damos tão perfeita como exige a importância desta solenidade, meditemos ao menos nela, mais frutuosa e profundamente.

 

 

 

SANTO AGOSTINHO E OS 7 SACRAMENTOS

Agostinho foi bispo de Hipona (litoral noroeste da África). Nasceu em Tagaste (Numídia) em 13 de Novembro de 354 e morreu em Hipona em 28 de Agosto de 430. Ele é um dos mais proeminentes doutores da Igreja. Em seu ministério combateu fortemente as heresias dos Maniqueus e Pelagianos. (ENCICLOPÉDIA CATÓLICA, 1907). Neste artigo iremos analisar as passagens nas quais santo Agostinho demonstra sua crença nos 7 sacramentos cristãos.

Natal segundo Santo Agostinho

Com os sermões agostinianos sobre o nascimento do Senhor é possível reconstruir um presépio que recorda as reflexões do Santo sobre o mistério de sua aparição humana neste nosso mundo. É um presépio teológico ou cristológico onde a presença de Deus ilumina tudo, ao mesmo tempo em que projeta sombras profundas: Um mirante de grandes contrastes e paradoxos.

O LACAIATO EM SANTO AGOSTINHO

 

 

“Ninguém pode dizer, porque o amor, Deus, é invisível. Porém, é verdade que tem pés: são os que caminham para a Igreja; tem mãos: são as que se estendem para os pobres; tem olhos: são os que veem o necessitado; tem ouvidos: são os que escutam o Senhor. ” (In Io. Ep. 7, 10)

 

 

 

 

Preparai o Caminho do Senhor

2º Domingo do Advento (B)

Mc 1, 1-8: Homilia de Santo Agostinho (S. 288, 2)

Em qualquer página da Escritura a caridade ressoa

Eu sei que em vossos corações o desejo de  receber exortações diárias de leituras divinas e alimento da Palavra de Deus; mas pelo desejo comum com a qual inflamamos uns aos outros, eu acho que eu deveria dizer algo sobre a caridade. Por que, o que mais poderia falar, mas de caridade? Caridade, na verdade, é tal que se alguém quisesse falar sobre isso, não há necessidade de escolher uma leitura especial para ser recitado por todos, como um ponto de reflexão para o sermão, porque em qualquer página que abrir da Escrituras ressoa caridade.

Mt 22, 34-40: Homilia de Santo Agostinho (S. 350A, 1)

Santo Agostinho – A busca da Verdade

 

O nosso Papa Emérito Bento XVI nos fala um pouco da sua devoção a Santo Agostinho

 

 

 

Santo Agostinho: a humildade de reconhecer-se pecador

 

 

«Se me perguntais o que é mais essencial na religião e na disciplina de Jesus Cristo responderei que o primeiro é a humildade, o segundo a humildade, e o terceiro a humildade»
Santo Agostinho, Epist. 118, 22