Em qualquer página da Escritura a caridade ressoa

Eu sei que em vossos corações o desejo de  receber exortações diárias de leituras divinas e alimento da Palavra de Deus; mas pelo desejo comum com a qual inflamamos uns aos outros, eu acho que eu deveria dizer algo sobre a caridade. Por que, o que mais poderia falar, mas de caridade? Caridade, na verdade, é tal que se alguém quisesse falar sobre isso, não há necessidade de escolher uma leitura especial para ser recitado por todos, como um ponto de reflexão para o sermão, porque em qualquer página que abrir da Escrituras ressoa caridade.

Mt 22, 34-40: Homilia de Santo Agostinho (S. 350A, 1)

Nós colocamos o mesmo Senhor, como um testemunho desta, uma vez que, tendo sido perguntado sobre o que os principais preceitos da lei foram, ele respondeu: ” Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda tua alma e com toda tua mente (Mt 22, 37); e amarás o teu próximo como a si mesmo (ib. 39). E para que você tinha que manter a olhar para as Sagradas Escrituras, ele acrescentou: Destes dois mandamentos da lei e os profetas dependem (ib . 40).

Se toda a lei e os profetas dependem desses dois preceitos, quanto mais o evangelho? De fato, a caridade renova o homem, porque assim como a concupiscência faz o homem idoso, a caridade o faz novo. Por isso, aquele que geme em batalha com a concupiscência diz: Envergonhem-se e perturbem-se todos os meus inimigos (Sl 6: 8). Que a caridade caracteriza o novo homem é manifestada pelo próprio Senhor desta maneira: Eu lhes dou um novo mandamento, que vocês se amem uns aos outros (Jo 13:34). E ele não apenas chamou este mandamento de novo, mas veio para nossa renovação, fez-nos novos homens e prometeu-nos uma nova e também eterna herança ”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.