Nossa Senhora do Bom Conselho

Do Latim Mater boni consilii, este é um dos títulos de Nossa Senhora. Também conhecida como Mãe do Bom Conselho, Nossa Senhora de Escodra, Nossa Senhora dos Bons Serviços e Santa Maria do Paraíso. Peregrinos de todo o mundo visitam e veneram Nossa Senhora do Bom Conselho. Durante séculos muitos Papas honraram o santuário, inclusive os Papas João XXIII e João Paulo II. Antes deles, o Papa Leão XIII, devoto da Imagem, acrescentou a invocação Mãe do Bom Conselho, rogai por nós na Litania de Loreto. No século IV o Papa São Marcos mandou construir uma igreja em Genazzano, não muito distante das ruínas de um antigo templo pagão, que foi dedicado a Nossa Senhora do Bom Conselho.

 

A origem da imagem

As origens da imagem são cobertas por várias histórias de milagres. Sua história pode ser dividida em duas partes. A maior parte das histórias relatadas estabelece uma ligação entre uma imagem de Nossa Senhora de Escodra (Bom Conselho) cultuada na Albânia e o ícone atualmente venerado na Itália.

O primeiro milagre

A Virgem Maria era venerada na Albânia desde tempos muito antigos tendo, entre outros, o título de Nossa Senhora do Bom Conselho. Era também chamada de Nossa Senhora de Zoja e Bekueme (Senhora Bendita), e existiam inúmeras capelas dedicadas a ela. Especialmente uma dessas capelas, que fica em Escodra, virou um centro de peregrinação na época das guerras contra os Otomanos. Certo dia, quando a cidade estava cercada por inimigos, dois devotos albaneses chamados Gjorgji e De Sclavis se ajoelharam aos pés da imagem e rezaram para que conseguissem fugir em segurança. No mesmo momento a imagem saiu da igreja, flutuando. Os devotos seguiram a imagem, que os levou para Roma e depois desapareceu. Passado um tempo, eles escutaram rumores sobre um ícone de Nossa Senhora que surgira miraculosamente em Genazzano. Logo os dois devotos foram para o local, onde perceberam que a imagem era a representação da sua venerada Zoja e Bekueme. Após o milagre os dois se mudaram para a cidade do ocorrido.

Nossa Senhora do Bom Conselho no Santuário de Genazzano

Em vista do amor que as pessoas de Genazzano participavam das festas e celebrações, o Papa declarou o dia 25 de abril como o dia da celebração cristã em honra à Mãe do Bom Conselho. Através dos séculos, Nossa Senhora foi honrada de maneira especial na pequena igreja na colina, que passou a ficar sob a responsabilidade dos freis da Ordem de Santo Agostinho a partir de 1356.

Como o tempo é implacável, a igreja passou a necessitar de reformas sérias. Petruccia, uma cristã do povoado, se sentiu inspirada em reconstruí-la. Desejando que fosse mais bonita e maior, apesar das dificuldades, sabia que Nossa Senhora havia inspirado tal intenção.

No terreno recebido foi erguida uma igreja em homenagem a Nossa Senhora do Bom Conselho. Com o passar do tempo, a capela foi se arruinando. No ano de 1467 uma viúva chamada Petruccia de Geneo se sentiu na necessidade de restaurar a capela com seu próprio dinheiro. Gastou tudo o que possuía e mesmo assim não conseguiu terminar a reforma.

Anos mais tarde, durante uma festa no povoado, no dia 25 de abril de 1467, muitas pessoas estavam reunidas na praça festejando, cantando e dançando. Durante as festas, alguém viu uma nuvem passando no claro céu azul. Toda a atenção foi posta na nuvem que se aproximava cada vez mais, até que finalmente se deteve em uma das paredes da igreja que ainda estava em reforma A nuvem se abriu gradualmente e em seu meio apareceu uma pintura de Nossa Senhora com o Menino Jesus. Os sinos do povoado começaram a tocar sem ajuda de mãos humanas. Ao presenciar tal milagre, Petruccia foi correndo ao templo para se ajoelhar diante da pintura. Ninguém conhecia a procedência da pintura e nem sequer a tinham visto antes. Muito embora a pintura fosse um afresco muito de espessura fina, a imagem se manteve em pé encima de um suporte.

A tradição diz que a pintura milagrosa permaneceu assim por centenas de anos, mesmo depois de a Igreja ter sido quase toda destruída durante a Segunda Guerra Mundial.

De imediato uma chuva de graças e curas milagrosas começaram a acontecer. Dois estrangeiros procedentes de Scutari, na Albânia, chegaram a Genazzano procurando a pintura da Virgem. Eles contaram seu testemunho: quando compreenderam que não poderiam mais resistir ao ataque dos turcos, pediram conselho à Virgem para manter a fé diante de circunstâncias tão adversas. Naquela mesma noite, diante do assombro deles, a imagem da Virgem se desprendeu da parede e elevou-se aos céus iniciando sua viagem lenta em direção ao oeste.

Foi assim que eles puderam seguir a imagem, cruzando o mar Adriático até chegar a Genazzano. Eles decidiram ficar por alí mesmo para poder viver perto de sua Senhora.

Quando o Santo Padre ficou sabendo da pintura e de seus milagres, mandou dois bispos examinar e estudar os acontecimentos extraordinários. Depois de uma criteriosa investigação, o Papa e seus comissários se convenceram de que a pintura era verdadeiramente Nossa Senhora do Bom Conselho, a mesma que havia sido venerada por séculos em Scutari.

O espaço vazio com as dimensões exatas onde havia estado a pintura na igreja da Albânia era evidente aos olhos de todos. A imagem havia sido pintada sobre o gesso da parede. Nenhuma habilidade humana poderia ter tirado, com êxito, a pintura da parede sem danificá-la. Nenhuma mão humana podería ter trazido a pintura através do mar Adriático e colocá-la na parede da igreja de Genazzano sem quebrá-la.

Naturalmente, a igreja foi terminada. Houve tantas doações e foi oferecida tanta ajuda que ela acabou se convertendo numa belíssima basílica. A pintura foi colocada em um relicário maravilhoso com um marco de ouro adornado com pedras preciosas. Mais tarde, duas coroas de ouro foram enviados pelo Vaticano e foram colocadas nas cabeças da Mãe e do Filho.

No dia 26 de abril de 1965 a igreja foi inaugurada novamente, depois de ser restaurada dos estragos provocados pela Segunda Guerra Mundial. A Ordem Agostiniana é responsável pela igreja desde que lhe foi recomendada em 1356.

A reprodução em mosaico da pintura original está rodeada por santos, santas e fiéis conhecidos pela sua devoção à Mãe do Bom Conselho: Santa Rita de Cássia (monja agostiniana), o Beato Stephen Bellesini (pastor do Santuário de Genazzano), Santo Agostinho (inspirador e fundador da Ordem Religiosa), o Papa Leão XIII (devoto de Maria sob o título de Mãe do Bom Conselho) e Petruccia dei Nocera (benfeitora do Santuário de Genazzano).

O altar é de mármore Botticino e a parte frontal apresenta vários símbolos agostinianos. Do lado direito do altar está uma imagem – em forma de estátua – de tamanho natural da Nossa Mãe do Bom Conselho.

 

Leitura Bíblica (1): Escutai, pois falarei de coisas importantes, e se abriram meus lábios para anunciarem o que é reto. Meu paladar saboreia a verdade, e meu lábios detestam o que é ímpio. Meu conselho é a prudência, são minhas a inteligência e a fortaleza. (Provérbios 8, 6-7.14)

 

Leitura Bíblica (2): Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e do conhecimento de Deus! Como são insondáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? Na verdade, tudo é dele, por ele e para ele. A ele, a glória para sempre. Amén. (Romanos 11, 33-36)

 

Oração: Senhor, vós sabeis que os pensamentos dos homens são inseguros e frágeis; por Maria, na qual se encarnou vosso Filho, enviai-nos o dom de vosso conselho, que nos leve a conhecer o que é de vosso agrado e nos dirija em nossos trabalhos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *