O trigo de Cristo

 

23 de julho de 2017

16º Domingo do Tempo Comum (A)

Mt 13, 24-43:

Homilia de Santo Agostinho (S. 73A, 1-2)

 

 

 

 

 

24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo;

25 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.

26 E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio.

27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio?

28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo?

29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele.

30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.

31 Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao grão de mostarda que o homem, pegando nele, semeou no seu campo;

32 O qual é, realmente, a menor de todas as sementes; mas, crescendo, é a maior das plantas, e faz-se uma árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos.

33 Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento, que uma mulher toma e introduz em três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado.

34 Tudo isto disse Jesus, por parábolas à multidão, e nada lhes falava sem parábolas;

35 Para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta, que disse: Abrirei em parábolas a minha boca; Publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo.

36 Então, tendo despedido a multidão, foi Jesus para casa. E chegaram ao pé dele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo.

37 E ele, respondendo, disse-lhes: O que semeia a boa semente, é o Filho do homem;

38 O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno;

39 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.

40 Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será na consumação deste mundo.

41 Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles colherão do seu reino tudo o que causa escândalo, e os que cometem iniqüidade.

42 E lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá pranto e ranger de dentes.

43 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

Mateus 13:24-43

«Ouvimos o santo Evangelho e ao Cristo Senhor que nele nos fala. Falemos, pois, daquilo que ele mesmo nos conceder. Talvez me custasse trabalho explicar-vos, irmãos, esta parábola; mas ele nos preparou um compêndio dela, pois o mesmo que a contou dignou-se explicá-la. Certamente, quem leu o Evangelho, chegou até a passagem em que o Senhor diz: Arrancai primeiro o joio e amarrai-o em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro! (Mt 13, 30). Mas depois, conforme está escrito, seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: Explica-nos a parábola do joio. E aquele que está no seio do Pai, ele mesmo, a explicou: Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem, referindo-se a si mesmo. O campo é o mundo, a boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. O inimigo que semeou o joio é o diabo…

 

Vede bem o que escolhemos ser no seu campo: considerai como seremos encontrados no tempo da colheita. Pois o campo, que é o mundo, é a Igreja, estendida pelo mundo. Quem for trigo, persevere assim até a colheita; quem for joio, converta-se em trigo… No campo do Senhor, isto é, na Igreja, por vezes, quem era trigo converte-se em joio; e outras vezes, quem era joio converte-se em trigo: e ninguém sabe o que virá a ser amanhã…

 

Ouvi, pois, caríssimos grãos de Cristo, ouvi, caríssimas espigas de Cristo, ouvi, caríssimo trigo de Cristo: prestai atenção em vós mesmos; perscrutai a vossa consciência, interrogai a vossa fé, interrogai a vossa caridade, sacudi a vossa consciência; e se virdes que sois trigo, venham-vos à mente aquelas palavras: Quem perseverar até o fim, esse será salvo (Mt 10, 22)».

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *